Jerichow

Chega tarde, a crítica a este filme nomeado para um Leão de Veneza, vencedor de um prémio de Melhor Filme pela crítica Alemã…vá-se lá saber porquê, tendo em conta que o facciosismo é uma tendência moribunda nos dias de hoje.

Finalmente quando me foi permitido assistir ao visionamento de Jerichow, sai do filme absolutamente dormente, não só por ter testemunhado um aparente remake da fórmula O Carteiro Toca Sempre Duas Vezes, trabalhado expeditamente em Hollywood e até pelo cinema italiano, com Visconti a brincar com seriedade com esta fórmula em Ossessione. Até agora, todas as adaptações desta história não foram menos que excelentes.

E depois temos Jerichow, a desbunda pela tragédia sem destino. Ao contrário dos exemplos da fórmula abordada, neste filme de Christian Petzold não há sequer uma preocupação com empatia ou justificação emocional do triângulo amoroso.

Não. Tudo o que encontrei foi esterilidade criada por maus hábitos. O cinema Europeu na sua pior manifestação: inútil.

Anúncios

About ossosborea

Como nunca estive legalmente empregado, não posso dizer que estou a um passo do desemprego, mas só com o tempo livre presumido de alguém nesse estado poderia criar este espaço. Bem-vindos e demorem-se, espero que...

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s